O Dispositivo que Mobilizou a Mulherada

 

Será que nós mulheres já havíamos ouvido falar deste material que chegou para facilitar as nossas vidas? Quando estamos naqueles dias tão desagradáveis “Menstruadas”. Damos broncas, xingamos, e reinamos de tudo e de todos que estão ao nosso redor. Dias quentes de verão, e lá está nós, olhando os outros curtirem a praia sem poder aproveitar, pois estamos usando aqueles absorventes desconfortáveis de algodão que apertam a virilha (causando alergias) e assam os glúteos, quanto aos absorventes internos, a mulher estará sujeita a pegar uma infecção caso entre em contato com a areia da praia, causando danos a sua saúde intima.

Diversos comentários sobre este método surgiram quando mencionei que pretendo aderir brevemente a este método, que chama- se “Coletor Menstrual ou Copinho”. A primeira impressão ao olhar para o material, e que parece um cálice feito de silicone. Embora possa causar estranheza no início. Este dispositivo é usado para coletar o sangue menstrual. Estando ajustável ao corpo, oferece baixo risco de infecções. Maior parte das mulheres que o experimentam diz que não vive mais sem ele., é hipoalérgico, e econômico – custa de R$ 85,00 a R$ 150, 00 – reutilizável, podendo durar de cinco a dez anos. A praticidade estará na palma das suas mãos, oferecendo mais liberdade à mulher.

Enquanto o absorvente interno é introduzido no fundo do canal vaginal, o coletor menstrual deve ser colocado na entrada da vagina, o que pode causar um certo desconforto durante a adaptação, em um período que costuma variar de dois a cinco ciclos, em média; É preciso esvaziá-lo de cada 6 a 12 horas, dependendo da intensidade do fluxo menstrual. Para higienizá-lo, basta lavá-lo com água fria e sabão e fervê-lo após o período menstrual. Como o sangue não entra em contato com o ar, o coletor também evita o mau odor, o que pode ocorrer com o uso de absorventes externos.

Há inexistência deste dispositivo na farmácia, mobilizou as consumidoras e disponibilizam as marcas no mercado a oferecerem dois tamanhos de coletores, um para mulheres que não tiveram filhos e outro para as que já tiveram. Estando a venda somente pela internet. Sua única restrição de uso vale para quem ainda é virgem, pois o hímen pode se romper na hora de introduzir ou retirar o copinho, e para as puérperas (mulheres que tiveram filhos há menos de 40 dias).

Esteja certa de que desde a hora que a mulher decide usar o coletor, a mesma precisa entrar em contato com o próprio corpo, tocá-lo, conhecê-lo, aceitá-lo. Mesmo sabendo que habita uma sociedade em que falar sobre o funcionamento e as necessidades do corpo feminino ainda seja considerado um tabu. Hoje em dia algumas meninas escondem até da mãe, que menstruaram por vergonha de como reagiriam, e se iriam ensina- lá a fazer a higiene (troca de absorvente).

Não sabendo da existência deste dispositivo. Antes de escrever está matéria, pesquisei e planejei muito sobre o que ia colocar para vocês lerem, aqui estou eu, compartilhando com vocês o meu conhecimento sobre a saúde da mulher. Cada mulher tem um corpo, uma história, e quanto mais alternativas tivermos para lidar com nosso ciclo menstrual e reprodutivo, melhor. Portanto, é hora de olharmos com mais carinho para elas. E para nós.

 

 

0 Comentários
1 Curtidas
PublicaçãO Anterior: O Natal nas Diferentes Religiões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *